Qual a melhor marca de leite condensado?
Qual a melhor marca de leite condensado?

Qual a melhor marca de leite condensado?

Um bom brigadeiro começa pela escolha do seu produto principal: o leite condensado! Selecionamos e testamos 9 marcas e demos nossa opinião!

por Joyce Galvão - 28/05/2015

O leite condensado – o ingrediente avassalador que padroniza o sabor da confeitaria brasileira – não é unanimidade entre confeiteiros e cozinheiros, mas chega a ser um dos ingredientes mais amados e adorados pelas donas de casa e doceiras brasileiras.

Um restaurante sem pudim de leite, ou uma confeitaria que não vende brigadeiro, pode ver seu lucro diminuido no fim do mês – tamanha a adoração dos brasileiros por esses sabores que “remetem à infância”.

Mas independente das questões pessoais, é preciso entender que mesmo para esse ingrediente industrializado, é preciso muito conhecimento para saber compra-lo e, principalmente, utiliza-lo.

O QUE É LEITE CONDENSADO?

O leite condensado é um leite concentrado por evaporação (que retira 60% da água), ao qual se adiciona açúcar – com o intuito de reduzir o volume e aumentar sua conservação (por isso foi um “produto de guerra”). Pode ser feito a partir de leite integral ou desnatado, ou a partir da reconstituição de leite em pó e água.

Em um leite condensado de qualidade, os cristais não devem exceder 10 μm (cristais pequenos) – em algumas marcas esses cristais superam 30 μm (cristais grandes), tornando o produto arenoso.

E qual a melhor marca de leite condensado? Selecionamos 9 marcas – dentre elas a famigerada Nestlé, que usamos como controle para a comparação com as demais – e contamos um pouquinho sobre as características principais de cada uma delas!

Mococa: Produzido em Mococa, São Paulo, possui a textura mais líquida de todos os produtos testados, sensação extremamente arenosa e sabor muito adocicado. Ingredientes: leite integral, açúcar e lactose.

Glória: Fabricado em Itaperuna, Rio de Janeiro, possui coloração bem clara, sabor residual de “leite puro” (provavelmente por conta do uso de leite em pó) e textura arenosa. Ingredientes: leite integral, açúcar, leite em pó e lactose.

Camponesa: Produzido em Lagoa da Prata, Minas Gerais, possui coloração mais escura em relação aos outros produtos testados, sabor levemente caramelado e textura arenosa. Ingredientes: leite integral, açúcar, leite em pó e lactose.

Jussara: Fabricado em Araxá, Minas Gerais – possui cor clara, sabor e textura suave. Ingredientes: leite pasteurizado integral, açúcar e lactose.

Triângulo: Produzido em Canápolis, Minas Gerais. Possui textura líquida, arenosa; excessivamente doce e sabor residual. Ingredientes: leite cru refrigerado (??), leite em pó, açúcar e lactose.

Elegê: Produzido em Teutônia, RS, possui consistência leitosa, textura e sabores adequados, com doçura equilibrada. Ingredientes: leite concentrado, açúcar e lactose.

Leite Moça: Produzido pela Nestlé, em Montes Claros, Minas Gerais – foi utilizado como controle para o comparativo com as demais marcas, sendo a mais cara e a mais tradicional entre todas. Ingredientes: leite integral, açúcar e lactose.

Piracanjuba: Fabricado em Bela Vista de Goiás (GO) possui coloração mais escura em comparação ao controle (Leite Moça), textura fina e sabor, apesar de agradável, com leve residual. Ingredientes: leite integral e/ou leite em pó, açúcar e lactose.

Itambé: Sabor suave, coloração dourada e textura consistente. Produzido em Goiânia (GO) possui como ingredientes: leite integral, açúcar, leite em pó e/ou permeado de leite, lactose. Dentre todas as marcas é a que melhor representa um bom custo x benefício.

E como cada marca influencia no meu brigadeiro?

De acordo com a textura, fluidez e tamanho dos cristais o seu brigadeiro vai cristalizar mais rápido, vai demorar mais tempo para atingir o ponto correto e o sabor pode ser influenciado, além da própria textura do doce. De acordo com os testes realizados na minha cozinha do estúdio (controlando a receita, temperatura da chama do fogão e resfriamento), as marcas que produziram um brigadeiro cremoso e com maior durabilidade foram: Leite moça, Itambé, Elegê e Jussara.

Como evitar a cristalização do brigadeiro?

Mas e depois? Se eu compro um leite condensado de qualidade, cozinho o brigadeiro em fogo baixo, derreto o chocolate em pó na manteiga, faço tudo isso bonitinho, por que raios ele continua cristalizando?

Sinto dizer que fisicamente não existe meios que evitem esse processo, que é natural; é o contato com o oxigênio que cria esse tipo de cristalização. Mas você pode manter seu brigadeiro bem embalado que ele irá cristalizar mais dificilmente, já que com isso você cria uma barreira contra o oxigênio do ar. Para isso coloque a massa em um recipiente, cubra com filme plástico bem grudado na massa do brigadeiro (é para grudar mesmo), e depois tampe retirando o ar. Esse brigadeiro durará pelo menos 3 dias, sem cristalizar!

Ou você pode utilizar, quimicamente, uma enzima que realize a quebra da lactase e retarde a cristalização do seu produto!

E na geladeira?

A geladeira também controla o processo de cristalização, já que possui umidade baixa, desde que a massa do brigadeiro esteja bem embalada, já que a baixa umidade da geladeira fará com que a massa do seu brigadeiro resseque.

Um brigadeiro bem embalado e refrigerado se conserva por muito mais tempo – quase 15 dias! E congelar a massa também funciona: o produto congelado dura até 3 meses – quando bem embalado, também!!!

Mas vamos combinar: nada substitui um brigadeiro fresquinho, ok?

E você? Qual sua marca preferida?

REFERÊNCIAS

FINZER, J.R.D., MARTINS, J. R. – Cristalização em lactose. FAZU em Revista. Ed. 8, 2011.

 

SANTOS, Marcelo. Caracterização e avaliação microscópica de leites condensados produzidos no Brasil. Universidade Federal de Juiz de Fora, 2012.

 

RENHE, Isis; PERRONE, Ítalo; SILVA, Paulo Henrique. Leite condensado: identidade, qualidade e tecnologia. Juiz de Fora : Templo, 2011.

APRENDA MAIS!

Quando o leite condensado virou brigadeiro? – uma história do doce mais famoso do Brasil

Quando o leite condensado virou brigadeiro? – uma história do doce mais famoso do Brasil

O primeiro registro de um método de concentração do leite data de 1827, feito na França. Mas foi só em 1853 que o leite condensado foi criado. E é aqui que começa a história do nosso brigadeiro! 
Saiba mais
Translate »